Blog

Fobias ou curiosidades da língua portuguesa?

Descobri recentemente que sofria de uma série de fobias. O dicionário diz que fobia é “aversão, medo mórbido, irracional, desproporcional, persistente e repugnante de algo”.

Foi um alívio quando descobri que fui erroneamente chamada de preguiçosa a minha vida toda. O fato é que minha condição de PONÓFOBO (que tem medo de trabalhar muito) associado com a minha inclinação à EOSOFOBIA (medo do amanhecer) e a PROSOFOBIA (medo do progresso) me impediam de ser muito produtiva.

Tudo passou a fazer sentido quando descobri que o incômodo de ter casca de pipoca grudada na gengiva é simplesmente ARAQUIBUTIROFOBIA e o desconforto ao assistir o horário eleitoral gratuito nada mais é que POLITICOFOBIA.

De repente, passei a ver a vida com outros olhos, pois descobri que meu vocabulário limitado era devido à minha HIPOPOTOMONSTROSESQUIPEDALIOFOBIA (medo de palavras grandes ou complicadas)

Foi desestressante saber que não era relapsa com minha higiene pessoal, mas sim ABLUTÓFOBO (que tem medo de tomar banho).

Nunca tive muita sorte em minhas relações amorosas e agora entendo que minha GAMOFOBIA (medo de casar), GENOFOBIA (medo de sexo) e MALAXOFOBIA (medo de amor) tiveram uma boa parcela de culpa.

Minha falta de cultura também é facilmente explicada,  pois sofro de METROFOBIA (medo de poesias), BIBIOFOBIA (medo de livros) e SOFOFOBIA (medo de aprender).

Porém, apesar de tantos obstáculos, consegui sobreviver relativamente ilesa, no entanto algumas das minhas fobias me preocupam um pouco,  para ser honesta. O meu medo do número 13 (TRISQUAIDEQUAFOBIA), por exemplo, me impede de um bom joguinho de vez em quando. Já as minhas EMETOFOBIA (medo de vomitar) e METIFOBIA (medo de álcool) me afastam de todos e quaisquer eventos sociais.

Espero que com tais esclarecimentos, eu tenha feito com que vocês entendam a minha condição clínica, pois garanto que dividimos algumas das fobias relatadas. Divido certamente com vocês minha NECROFOBIA (medo da morte).

 

 

Márcia Pires é do departamento financeiro da Contexto Mídia e teve que superar sua GRAFOFOBIA (medo de escrever) para  explanar as atitudes pouco ortodoxas do nosso ser, aliando à grandeza da nossa língua portuguesa.

 

Compartilhe!